Appfut

ORIGENS


Essa sala narra como foi a chegada do futebol ao Brasil, no final do século XIX, até a sua profissionalização na década de 1930. A fundação do SPFC é emblemática na transição do amadorismo para o profissionalismo no futebol. Vamos relembrá-la?

Um dos times mais populares na capital até os anos 1930 foi o Club Athletico Paulistano, fundado em 1900 e assumiu as cores vermelha e branca. Era o clube da aristocracia cafeeira e foi campeão paulista 11 vezes. Foi também o primeiro time brasileiro a jogar na Europa, em 1925. Dentre seus ídolos estava Arthur Friedenreich.

Dentre os vários times criados no início do século XX estava a Associação Athletica das Palmeiras (1902), de cores preta e branca e com sede na área então conhecida como Chácara da Floresta, às margens do Rio Tietê, próximo de onde hoje se situa a Avenida Santos Dumont e a Ponte das Bandeiras. Foi campeão paulista em 1909, 1910 e 1915

O Paulistano desistiu do futebol em 1929, deixando grandes craques sem clube, inclusive o maior de todos: Arthur Friedenreich. Já a A.A. das Palmeiras passava por uma crise financeira. Uma fusão entre os dois grupos era um negócio perfeito. Assim, em 25/01/1930 foi fundado o SPFC, fundindo as três cores desses dois clubes: vermelho, preto e branco. Foi campeão paulista em 1931 e vice em 1930, 1932, 1933 e 1934.

Em 1934 chegou ao auge a briga entre amadores (liderados pela Confederação Brasileira de Desportos – CBD) e profissionais (filiados à Federação Brasileira de Futebol – FBF), atrapalhou bastante o futebol paulista. A diretoria do SPFC, mesmo com o vice-campeonato naquele ano, optou por acabar com o clube, vendendo-o ao Clube de Regatas Tietê, encerrando assim a história do “São Paulo da Floresta”.

A fusão com o Tietê foi bastante contestada. Sócios e torcedores tentaram de todas as maneiras manter o clube atuante. Foram criados 4 novos times: o Clube Atlético Estudantes de São Paulo, o Grêmio Tricolor, o Clube Atlético de São Paulo e o Independente Esporte Clube. Os três últimos acabaram por se juntar para recriar o SPFC em 16 de dezembro de 1935. Em 25 de janeiro de 1936, o “novo” São Paulo voltava a campo. Em 1938 a última fusão, com o C.A Estudantes.